Institucional

05/11/2009

Seed e Núcleo de Curitiba prestigiam posse de grêmio estudantil

A posse da nova diretoria do Grêmio Diferença do Colégio Estadual Santa Cândida, em Curitiba, nesta quinta-feira (5), foi prestigiada por representantes da Secretaria da Educação, NRE de Curitiba, professores, funcionários, estudantes e pais. “A Secretaria da Educação tem como princípio a Gestão Democrática, na qual as representações dos diversos segmentos da escola participam das decisões no âmbito pedagógico, financeiro, entre outros”, afirma Helen Mara Silvério, técnica-pedagógico da Coordenação de Gestão Escolar (CGE) da Seed.

Ela explica que o grêmio, como uma das instâncias de gestão, é a representação dos estudantes no âmbito dos estabelecimentos de ensino e tem assento garantido no Conselho Escolar – colegiado responsável por deliberar nas decisões da escola. “Estimamos que 40% das escolas estaduais do Paraná terão Grêmios Estudantis até o final de 2009”, conta a técnica-pedagógico. Este número pode ser maior porque a CGE ainda está colhendo informações.
Segundo o presidente eleito Jhonatan Cesar, com o Grêmio Estudantil implantado no colégio, o aluno se sente mais à vontade para falar e apresentar os problemas. “Temos a visão dos alunos, e buscamos entrar em consenso com a Direção para ajudar a encontrar uma solução para as questões dos alunos”, fala.
“Não pretendemos só fazer campeonatos esportivos ou festas, mas lutar pelos direitos dos alunos diretamente”, enfatiza Jhonatan ao lembrar da importância política que esta instância possui não apenas na comunidade escolar, mas em outros espaços e com outras instituições.
Na visão da irmã Oliva Nallon, diretora da escola, o Grêmio é um espaço de aprendizagem da democracia, da participação, do trabalho e do serviço para a comunidade. Ela espera que esta gestão eleita tenha projetos no campo do estudo para alunos com dificuldades de aprendizagem, além de atividades que contemplem a solidariedade.
A irmã revela que é possível desenvolver um bom trabalho entre a Direção e o Grêmio. “No início foi um pouco complicado porque os jovens são muito eufóricos, o poder sobe a cabeça, mas nada que não se resolva com um bom diálogo para trabalharmos em parceria”, conta.
“Para despertar o interesse, é preciso entender a importância do grêmio estudantil dentro da escola, de maneira pedagógica, partindo disto, este evento é mais uma oportunidade de aprendizagem para os alunos”, explica Cristina Cardoso, técnica-pedagógico que trabalha diretamente com os Grêmios no Núcleo Regional de Educação de Curitiba.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.