Ensino

21/11/2012

Semana da Consciência Negra é comemorada nas escolas

As escolas da rede estadual de ensino celebram em todo Paraná a Semana da Consciência Negra. Várias atividades culturais e artísticas foram desenvolvidas para conscientizar sobre a importância da cultura negra na formação do Brasil, além de levar à reflexão quanto às questões que ainda envolvem o tema.

O Ceebja Poty Lazzarotto, em Curitiba, envolve toda comunidade escolar ao promover a semana da consciência negra. Os participantes lotaram as salas de aula para assistirem a palestras, filmes, apresentações artísticas, fazer oficinas e rodas de leitura. “É um dos momentos de culminância desses trabalhos, que são interdisciplinares e envolvem não só a equipe que prepara o evento, mas também os professores, funcionários e alunos”, contou a coordenadora da equipe multidisciplinar, Elair Macedo.

A intenção de promover a discussão com a comunidade escolar, valorizar a cultura negra e contribuir para a diminuição da discriminação já dá resultados na instituição e ensino. “Essas atividades são muito importantes. As pessoas deveriam se conscientizar de que todos são iguais, ainda há muito preconceito, mas é preciso enfrentá-lo”, lembrou a aluna Méri de Souza, que cursa o 8º ano no Ceebja.

No Colégio Estadual Duque de Caxias, em Goioerê, a data foi comemorada com apresentações artísticas e homenagens a cidadãos negros atuantes na cidade. “Os alunos adoraram e já perguntaram se no próximo ano vai ter. Quando as escolas começam a promover esse tipo de ação diminui um pouco o estereótipo e ajuda a valorizar mais a etnia que tanto contribui para nossa cultura e para o nosso país como um todo”, comentou diretor Luis Lourenço. O evento ainda contou com a presença do vice-governador e secretário de Estado da Educação, Flavio Arns, que foi prestigiar a escola e inaugurar salas de aula.

Em Toledo, o Colégio Estadual Jardim Gisele programou a semana inteira para a as comemorações. Entre as atividades estão um concurso de soletrar palavras de origem africanas, uma gincana na qual os alunos respondiam questões sobre Zumbi dos Palmares. “Aprendemos várias palavras e eu ganhei a competição, e também aprendi que todos devem ter o mesmo direito e nunca ter preconceito, não importa a cor da pele do outro.”, conta o estudante do 6º ano, João Vitor Ramos, de 12 anos.

Os alunos apresentaram um seminário sobre o Estatuto da Igualdade Racial. “É muito importante trabalhar com isso, não só porque eu sou negra, mas por que todos nós buscamos um mundo melhor e isso significa igualdade social, ninguém pode ter menos oportunidades por ser branco ou negro, pobre ou rico, gordo ou magro”, disse a diretora Iracema Maria de Sá.

O Colégio Estadual Novo Horizonte, também em Toledo, promoveu para alunos e comunidade escolar jogos africanos - como Mancala, Yoté e Tseoro-Yea-Matatu, danças e declamação de poesia, nos três períodos.

Em Cascavel, no Colégio Estadual XIV de Novembro, foram feitas exposições, trabalhos manuais, história da África, história da arte africana, relatos de pessoas que visitaram o continente africano, apresentações de danças, músicas e desfiles. “É preciso divulgar essas questões, e trazer a cultura africana para que nossos alunos possam vivenciá-la”, falou a diretora auxiliar Soeli Oviedo.

“Nós temos que entender que a nossa cultura é formada por várias etnias. Não se deve julgar alguém pela cor. Todos são iguais e a sociedade que difere”, lembra a aluna do 7º ano, Kauane da Rocha santo, de 12 anos.

FORMAÇÃO - A Secretaria de Estado da Educação desenvolve ações com o objetivo de implementar a Lei 10639/03, que trata da obrigatoriedade do ensino da história e cultura africana e afro descente. O Departamento da Diversidade da Secretaria cuida da formação continuada dos educadores e da implantação de uma equipe multidisciplinar em cada escola estadual, responsável por colocar na grade e no dia a dia dos alunos as relações etnicorraciais e para o ensino de História e Cultura Afrobrasileira e Africana.

“As ações de enfrentamento ao racismo e de positivação da participação da população negra na construção de conhecimentos, tecnologias, e na formação do Brasil e do Paraná devem ser desenvolvidas ao longo do calendário letivo, contemplando datas e acontecimentos significativos da comunidade na qual está inserida, e no mês de novembro a semana será o ponto de culminância de todas as ações”, ressaltou a diretora do Departamento da Diversidade, Luciane Vanessa Fagundes Mendes.

ZUMBI DOS PALMARES - Há 317 anos, no dia 20 de novembro de do ano de 1695 morria, em combate defendo o seu povo, o líder negro Zumbi dos Palmares. Na data, a partir de 2003 com a lei 10.639, passou a ser comemorado o “Dia da Consciência Negra”.

VÍDEO - O programa Extraclasse sobre a Semana Nacional da Consciência Negra da TV Paulo Freire traz a importância da cultura e do povo africano na formação da cultura nacional. O episódio mostra algumas atividades que o Cead Poty Lazzarotto de Curitiba promoveu para celebrar a semana.

www.educadores.diaadia.pr.gov.br/modules/debaser/singlefile.php?id=23932
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.

Últimas Notícias

Leia mais