Infraestrutura

30/09/2013

Escolas de educação especial vão receber reformas

Os investimentos do Governo do Paraná na educação especial têm contribuído para que as instituições de ensino possam melhorar ainda mais o seu trabalho. Em agosto, foram repassados 40 micro-ônibus a Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apaes) em todo o Estado. Outras 22 Apaes vão receber recursos financeiros que chegam a R$ 3 milhões, até o fim deste ano, para reformas e melhorias.

Um dos novos micro-ônibus foi destinado para a escola especial da Apae de Califórnia, Norte do Estado. Antes, a instituição fazia o transporte com veículo não adaptado. “Com o ônibus ficou melhor, tem mais espaço, é mais confortável e mais seguro”, disse a aluna da Apae, Dulcinéia Sinkoc, que mora em um sítio próximo do município.

A escola especial de Califórnia atende 83 alunos, de bebês de três meses a idosos, 19 deles em período integral. Além das aulas de educação infantil, ensino fundamental e educação de jovens e adultos, são oferecidas fisioterapia, psicologia, fonoaudiologia, terapia ocupacional, assistência social e equinoterapia. Também são promovidas atividades de artesanato e de confecção.

Segundo a diretora da escola, Márcia Parro Claudino, a política pública na área da educação especial fortalece o trabalho realizado pelas instituições. “É fundamental esse olhar que o Paraná tem pela educação especial. Como entender que os alunos precisam de espaços adequados e atendimento especializado. Isso garante inclusão que respeita o tempo de cada um”, comentou.

MARILÂNDIA - Já a Apae de Marilândia do Sul, na mesma região, atende 62 alunos, também com várias idades, e oferece educação infantil, ensino fundamental, educação de jovens e adultos. O ensino profissional de formação inicial tem os cursos de artesanato, culinária e higiene e beleza. Além de fisioterapia, fonoaudiologia, psicologia, assistência média e social.

A instituição iniciou construção e reforma há alguns anos com recursos próprios. No entanto, as obras de reforma não foram concluídas. Com o dinheiro que será repassado por convênio, cerca de R$ 150 mil, será possível terminar a obra que inclui cozinha, cozinha experimental, sala de música, lavanderia, sala de arte, pátio coberto e banheiros adaptados. “Com o recurso repassado podemos dar passos mais seguros para melhorarmos o trabalho que já fazemos”, explicou a presidente da Apae, Cleci Grigoli Zardo.

A diretora da escola, Eliza Gehring, ainda lembrou os avanços conseguidos pelas instituições de educação especial nos últimos anos. “Entre tantos benefícios como o de ter professores e funcionários da rede estadual e de receber merenda de qualidade, agora temos o reconhecimento de sermos escolas estaduais na modalidade de educação especial”, ressaltou.

EDUCAÇÃO AMBIENTAL - Agora a Apae de Marilândia poderá dar continuidade aos seus projetos com mais tanquilidade. Um deles envolve educação ambiental e propõe a publicação de uma cartilha para trabalhar a gestão do lixo. O projeto vai ser realizado de forma conjunta com os alunos das escolas municipais para promover uma interação maior e com reflexos no ensino e no combate ao preconceito.

Outra ação é dar uma nova função à horta da escola. A ideia é conseguir apoio de uma empresa para que os alunos possam aprender a trabalhar com o plantio de mudas de árvores para reposição de matas ciliares na região.

IGUALDADE - No fim de agosto, o governador Beto Richa sancionou a lei do programa Todos Iguais Pela Educação que concede às escolas básicas de Educação Especial, mantidas pelas Apaes e outras instituições sociais, os mesmos direitos e recursos destinados às escolas públicas da rede estadual. A iniciativa é pioneira no país e transforma a ajuda em apoio permanente.

Com a lei, 413 escolas e instituições que hoje atendem 42.618 alunos com deficiência de várias idades receberão dotação orçamentária do Estado para melhorias e adequações nas instalações físicas e pedagógicas. “É fundamental que todos, diferentes nas suas necessidades, sejam iguais no direito a educação de qualidade para desenvolver plenamente o seu potencial”, afirmou o governador.

Serão destinados R$ 436 milhões às escolas de educação especial. Os recursos servem para investimentos em pessoal, equipamentos, reformas, merenda escolar, além de ônibus para o transporte. As obras nas Apaes fazem parte deste programa Todos Iguais Pela Educação.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.