Profissionais da Educação

07/02/2017

Aulas extraordinárias a partir desta quarta-feira (08)

Os professores do Quadro Próprio do Magistério (QPM) da Secretaria de Educação já podem começar a se organizar para a distribuição de aulas extraordinárias, que inicia a partir desta quarta-feira (08), conforme o cronograma de cada um dos 32 Núcleos Regionais da Educação (NRE). O processo de distribuição de aulas começou no dia 01º com as aulas dos padrões e segue até o final da semana, conforme o NRE.

A distribuição das aulas extraordinárias segue o cronograma padrão: primeiro para os professores lotados nas escolas, depois no município e por fim os lotados em um dos 32 Núcleos Regionais de Educação. Depois de todos os professores efetivos terem escolhido suas aulas, a SEED disponibiliza as demais aos professores temporários, contratados a partir de Processo Seletivo Simplificado (PSS).

Este ano a distribuição de aulas contou com um novo recurso; o sistema informatizado que centraliza todas as informações num mesmo canal online e garante transparência e segurança aos professores. E para as aulas extraordinárias há também a mudança nos critérios de classificação.

Antes o professor tinha vantagem conforme o status na carreira [nível de graduação], este ano a preferência é do professor que ficou mais tempo em sala de aula sem afastamentos. O novo critério foi estabelecido pela resolução 113 e, segundo a Seed, ao contrario do que vem sendo divulgado o novo formato não é punitivo.

“O professor que tirou licença poderá pegar aula extraordinária como em todos os anos anteriores. Porém, agora, aquele professor que não se ausentou durante o ano letivo terá prioridade”, explicou a chefe do Grupo de Recursos Humanos Setorial (GRHS) da Secretaria da Educação, Graziele Andriola.

Cerca de 370 mil aulas estarão disponíveis para distribuição de extraordinária e/ou para temporários em grande parte das 2,1 mil escolas do Estado. A recomendação da SEED é para que os professores tenham tranqüilidade. “Tivemos professores que levaram apenas minutos para escolher suas aulas, outros até uma hora. Isso varia de pessoa a pessoa e não há tempo certo ou errado para a escolha das aulas. Nossos profissionais estão à disposição dos professores para repassar todas as informações a respeito das aulas”, disse Graziele.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.