Ensino

11/04/2018

Pais e alunos escolhem disciplinas no ensino integral

A rede estadual de ensino possui 56 escolas que ofertam a Educação em Tempo Integral - Turno Único (ETI) para alunos do ensino Fundamental e Médio. Nessa proposta de ensino, além da expansão do horário escolar, os pais e alunos participam da composição da Parte Diversificada da Matriz Curricular.

Os 6.700 estudantes matriculados no Ensino Fundamental em turno único participam de atividades de Acompanhamento/Aprofundamento Pedagógico, Esporte e Lazer, Temas Sociais, Contemporâneos, Cultura, Arte e Educação Patrimonial, Comunicação e Uso de Mídias.

Já os 1.600 alunos do Ensino Médio participam de aulas de Comunicação, Cultura Digital e Uso de Mídias, Cultura Corporal, Cultura e Patrimônio, Educação Científica e Cidadania, Percepções Teatrais no Ambiente Escolar.

Segundo a coordenadora da Educação Integral, da Secretaria de Estado da Educação, Zulsi Rohr, essas atividades fazem parte dos Componentes Curriculares Eletivos escolhidos pela comunidade escolar com o objetivo de contribuir para o enriquecimento do currículo, possibilitar o desenvolvimento e interação entre estudantes, incentivar a convivência e a troca de experiências.

“Os estudantes participam da escolha dos Componentes Curriculares Eletivos, que farão parte do currículo da escola de acordo com seus interesses, necessidades e expectativas, para que se sintam inseridos no ambiente escolar. É importante ressaltar que as atividades desenvolvidas, a partir dos Componentes Curriculares Eletivos, precisam ter particularidades lúdicas e práticas, com metodologias diferenciadas”, disse.

FUNCIONAMENTO - As turmas das instituições de Ensino Fundamental nesse modelo de ensino possuem três horas-aula semanais com atividades de Componente Curricular Eletivo, conforme especificidades da escola. Para as turmas do Ensino Médio são destinadas duas horas/aula semanais também conforme as características do estabelecimento de ensino. Essas atividades são trabalhadas junto com as disciplinas da Base Nacional Comum da Matriz Curricular.

O chefe do Departamento de Educação Básica da Secretaria da Educação, Cassiano Ogliari, afirmou que a proposta amplia as possibilidades de ensino. “Essa organização curricular para ETI propõe expandir as possibilidades de conexão e diálogo entre as disciplinas e componentes curriculares, ampliar as oportunidades dos estudantes para aprender e desenvolver práticas que contribuirão para a sua formação integral”, disse.

INCENTIVO – O aluno Rafael da Silva dos Santos, 13 anos, do 7° ano do No Colégio Estadual Professora Elenir Linke, em Cantagalo (no Centro-Sul do Estado), aprovou a possibilidade de poder escolher o que estudar.

“A escolha das atividades é um incentivo porque tem escolas que precisamos estudar coisas que às vezes não gostamos, mas no ensino integral estudamos o que gostamos porque fomos nós mesmos que escolhemos. Antes eu não tinha nada para fazer em casa, agora participo das aulas de atletismo quando não tenho as aulas normais”, disse Rafael.

O colégio atende 260 alunos. Os estudantes do 6°, 7° e 8° anos do Ensino Fundamental optaram por atividades complementares de atletismo, futsal, música, dança, teatro e artesanato. Já os alunos do 1°, 2° e 3° ano do Ensino Médio escolheram as aulas de Cultura Corporal (dança), Comunicação, Cultura Digital e Uso de Mídias.

Além das aulas eletivas, os estudantes do Ensino Médio participam de atividades relacionadas aos Componentes Curriculares Obrigatórios do Mundo do Trabalho e Protagonismo Juvenil, aulas de Espanhol e Inglês.

“A escolha dos Componentes Curriculares Eletivos é feita pelos pais e alunos de forma democrática. A educação integral tem a proposta de preparar os alunos para o mundo do trabalho identificando suas habilidades. No atletismo, por exemplo, descobrimos alguns talentos individuais e alunos que já participaram de competições representando a nossa região”, disse a diretora Kelly Rosa Walendorff.

ENSINO MÉDIO – As 13 escolas com matrículas para o Ensino Médio em Tempo Integral foram contempladas pelo Programa de Fomento à Implementação de Escolas em Tempo Integral, do Ministério da Educação, que tem por objetivo apoiar a ampliação da oferta deste modelo de educação nas redes públicas.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.