Ensino

19/11/2018

Escola soluciona casos de evasão e abandono com ações preventivas

O Colégio Estadual Teotônio Villela, em Campina da Simão (na região Central do Estado) reverteu quase 100% dos casos de evasão escolar em 2018. Para diagnosticar e resolver situações de evasão e abandono, a escola desenvolveu uma metodologia de monitoramento de faltas e acompanhamento familiar em parceria com órgãos de proteção à criança e ao adolescente. Dos 215 casos de evasão registrados pela escola nesse ano, 213 já foram resolvidos.

O sucesso no retorno dos alunos à escola é resultado do trabalho diário desenvolvido pela instituição. Além da frequência dos estudantes feita pelos professores no Registro de Classe Online (RCO), a frequência também é feita em uma planilha pelos estudantes representantes de turma. Essa ficha com as frequências é analisada pela equipe pedagógica que diagnostica possíveis casos de infrequência (faltas consecutivas ou alternadas).

“Essa metodologia impede que o aluno chegue a evadir a escola porque no primeiro sinal de infrequência a nossa equipe pedagógica entra em contato com a família para descobrir o motivo das faltas”, explicou a diretora Lucineia Zampier. “É um trabalho que exige interação entre a direção e a equipe pedagógica que é muito compromissada com objetivo de evitar que o aluno saia, mas também em trazer de volta esse aluno que por algum motivo deixou a escola”, completou Lucineia.

REDE DE PROTEÇÃO - Quando o monitoramento de frequência aponta algum indício de faltas frequentes, a equipe pedagógica do colégio entra em contato com os agentes municipais da Rede de Proteção à Criança e ao Adolescente, Conselho Tutelar e familiares para diagnosticar e solucionar o motivo das faltas e garantir o retorno dos estudantes à sala de aula. “Como essa resposta é rápida, o aluno retorna para a escola motivado e sem prejuízo pedagógico”, disse a Zampier.

Todas as ações desenvolvidas pela instituição no combate à evasão e ao abandono escolar são armazenadas no Sistema Educacional da Rede de Proteção (SERP) uma ferramenta que permite o registro online de casos de abandono escolar. O acesso ao sistema é feito pelo Ministério Público (MP), pedagogos, diretores, usuários da Rede de Proteção, conselheiros tutelares, além de órgãos municipais que colaboram no combate ao abandono escolar.

O sistema foi desenvolvido em 2015 pela Secretaria de Estado da Educação, em parceria com a Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná (CELEPAR), o Sistema Educacional da Rede de Proteção (SERP), que possibilita às escolas o registro das faltas e das ações realizadas para retorno do estudante, além do fluxo dos casos de abandono não solucionados pela escola com os segmentos da Rede de Proteção à Criança e ao Adolescente e Conselho Tutelar.

“As escolas trabalham com ações preventivas ao abandono, mas em situações em que o aluno matriculado deixa a escola ou não faz a rematrícula, a escola realiza ações para trazer esses alunos de volta para o ambiente escolar diagnosticando o motivo desse afastamento. A educação é um direito do estudante e ele não pode ser privado desse direito, por isso o combate à evasão escolar deve ser uma ação constante e conjunta de toda a comunidade escolar e rede de proteção", completou a chefe do Departamento de Gestão Educacional da Secretaria de Estado da Educação, Laureci Schmitz.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.