Ensino

07/01/2019

Estudantes participam de oficinas com acadêmicos do MIT

Estudantes do Ensino Fundamental e Médio de escolas públicas e particulares, e universitários do Paraná e de Santa Catarina, iniciaram nesta segunda-feira (7) oficinas bilíngues de aprendizagem criativa com acadêmicos do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT - Massachusetts Institute of Technology) ofertadas pela Secretaria de Estado da Educação em parceria com o Instituto norte-americano.

Durante uma semana os estudantes brasileiros vão conhecer um pouco mais sobre as tecnologias e metodologias desenvolvidas no MIT, além de trocar experiências com os acadêmicos americanos que participam do MIT - Brazil Global Teaching Labs.

Além das oficinas ministradas pelos norte-americanos, também estão disponíveis mais de 18 cursos de Introdução à Eletrônica, Programação, Pensamento Computacional, Prototipagem, Robótica e Impressão 3D lecionados por universitários brasileiros e pela equipe de professores do Seed Lab.

“O MIT enviou acadêmicos para treinar os alunos do Paraná em robótica, arduino e programação. São mais de 300 alunos trabalhando e aprendendo com o melhor instituto de tecnologia do mundo que depois vão disseminar esses conteúdos e tecnologias aqui no Paraná”, disse o secretário estadual da Educação, Renato Feder.

INTERCÂMBIO – São 354 estudantes do Ensino Fundamental e Médio, 17 universitários brasileiros e cinco acadêmicos norte-americanos. Os alunos receberão certificados com declaração de participação.

A estudante Cler Carrobrez Campigotto, de 15 anos, mora em Joinville, Santa Catarina, e está em Curitiba somente para participar das oficinas. Segundo ela, essa foi a oportunidade para conhecer um pouco mais sobre as metodologias de ensino do MIT e trocar informações e experiência com os alunos norte-americanos.

“Eu quero estudar no MIT e essa é uma oportunidade incrível porque não existe maneira melhor para conhecer o perfil dos alunos, as metodologias de ensino e também conhecer mais sobre o Instituto do que por meio desse intercâmbio. Sem dúvida é uma oportunidade única”, disse Cler, que está no 2° ano do Ensino Médio do Colégio Positivo.

Yasmin Blatner dos Santos, também de 15 anos, do 2° ano do Instituto Federal do Paraná, em Campo Largo (na Região Metropolitana de Curitiba) contou que as oficinas nas férias contribuem para ter contato com novas experiências e conhecimentos que não fazem parte da rotina escolar.

“Quando estamos no período de férias passamos muito tempo em casa e isso acaba sendo cansativo e essa é uma oportunidade para conhecer novas tecnologias e trocar experiências com pessoas de outras escolas, estado e até de fora do Brasil”, disse Yasmin.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.