Ensino

06/08/2019

Professores recebem formação do Laboratório Móvel

Professores estaduais participaram de uma oficina com técnicos do Departamento de Tecnologias Educacionais da Secretaria de Estado da Educação e do Esporte (Seed) para aprender a utilizar o Laboratório Móvel – um kit tecnológico que pode ser usado por qualquer turma ou professor em diferentes espaços de aprendizado.

A oficina faz parte de uma proposta que visa ampliar o uso da tecnologia como ferramenta de ensino. No primeiro semestre desse ano, 1212 kits (netbooks, roteadores C3 e o software BlueLab) foram entregues às escolas de diversas regiões do Paraná.

Nesse primeiro momento, participaram da oficina docentes dos Colégios Estaduais Aníbal Khury Neto, no bairro Uberaba, e Yvone Pimentel, no bairro Novo Mundo, ambos em Curitiba. Ao longo do segundo semestre, profissionais de outras instituições da rede estadual de ensino serão atendidos.

LABORATÓRIO MÓVEL – O kit fornecido pelo Governo do Estado possibilita aos professores e alunos usarem a tecnologia de forma responsável e como aliada no processo de ensino e aprendizagem.

Essas ferramentas, que funcionam on e off-line, conectam o netbook do professor e os netbooks dos alunos, de forma a facilitar o envio de arquivos, vídeos e atividades. Os dispositivos acabam por aumentar a interação entre discentes e docentes, que podem acompanhar o aprendizado dos estudantes.

“São recursos que possibilitam o envolvimento, o trabalho colaborativo de uma forma que você pode ou não estar utilizando a internet. Os netbooks têm alguns softwares que permitem o trabalho diferenciado que podem ser utilizados em qualquer disciplina e em qualquer momento“, diz a técnica pedagógica do DTI, Silvana Gogolla de Mattos.

BLUELAB E C3 – Com o software BlueLab, que conecta os netbooks do professor aos utilizados pelos alunos mesmo off-line, o Laboratório Móvel pode ser usado em qualquer espaço. Para Sharon Martins Vieira Noguêz, uma das técnicas pedagógicas que participa da orientação aos professores, a troca simultânea de atividades, questionários, vídeos e arquivos gera maior interação, promovendo o desenvolvimento integral dos estudantes e otimizando o tempo.

“É uma facilidade na troca de conteúdo. O professor não precisa imprimir, tirar xerox, carregar o projeto. Ele passa o vídeo ou a imagem de uma maneira rápida e fácil para o aluno. E o aluno pode produzir o trabalho, a resposta de uma forma que não seja só texto”, explica Noguêz, que destaca também os benefícios do roteador C3 na reposição de materiais educativos que podem ser acessados.

O Classroom Content Cloud, conhecido como C3, é um dispositivo que possibilita arquivar documentos, livros, aulas e atividades que podem ser facilmente acessados por alunos e docentes. O software otimiza o tempo de aula e permite, mesmo desconectado, que o docente use a tecnologia.

“O C3 permite que o professor insira o conteúdo da sua disciplina. Ele pode em cada escola criar e disponibilizar em forma de lição no C3. E aí fica salvo mesmo sem internet e o professor não perde o que já fez”, conclui a técnica.

O roteador de cada escola já tem materiais que foram disponibilizados pela SEED como Khan Academy, Escola Livre de Violência contra as Mulheres, tutoriais, Segurança na Internet, Seed Lab, Problemas em quadrinhos, Livro trailer e Educapop.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.