Ensino

09/10/2019

Alunos de colégio estadual projetam horta inteligente

Com o objetivo de despertar uma consciência maior em relação à alimentação na escola onde estudam, alunos do Ensino Médio do Colégio Estadual Milton Carneiro, em Curitiba, estão desenvolvendo uma horta que não é apenas sustentável, mas também inteligente.

A ideia, batizada de Horta New Way, partiu dos jovens Miriã Faria, Beatriz Hanchark, Matheus Rodrigues e Felype Mero, que constataram o baixo consumo de verduras e legumes entre os colegas. Ao pesquisarem sobre o assunto, descobriram que as chances de uma criança obesa se tornar um adulto também obeso são altas, o que acarretaria no surgimento de doenças crônicas, como hipertensão e diabetes.

“Pensamos, então, em implantar uma horta em nossa escola, mas não uma horta comum. Decidimos fazer uma horta com irrigação autônoma. Um sensor de umidade vai verificar se o solo precisa de água e acionar um mecanismo de irrigação”, explica Miriã.

Como a intenção dos estudantes também é focar na sustentabilidade, a água utilizada para irrigação será reaproveitada da chuva. Ainda, na montagem serão reaproveitados materiais como pallets, garrafas pet e canos de PVC.

A previsão é que até o fim do ano a horta esteja pronta. Os estudantes já realizaram a limpeza da área cedida pela escola e, atualmente, estão finalizando a parte estrutural do mecanismo, que utiliza conceitos de robótica. No espaço, serão plantados alimentos como alface, tomate, batata e ervas aromáticas para temperar.

Segundo os adolescentes, a ideia é, no futuro, abrir o espaço também à comunidade onde o colégio está inserido, no bairro do Alto Boqueirão, na capital paranaense. Eles também pretendem compartilhar a ideia com alunos de outras instituições, para que a iniciativa seja replicada e multiplicada. No fim de setembro, inclusive, tiveram a oportunidade de apresentar o projeto a diretores de escolas da região.

TECNOLOGIA A FAVOR DA EDUCAÇÃO – A horta inteligente é desenvolvida num espaço maker instalado no Colégio Estadual Milton Carneiro, com notebooks, kits de robótica e impressora 3D. A escola conseguiu implantar o laboratório após participar de um projeto que teve Volkswagen, WAAS Aliança Empreendedora e Governo do Estado do Paraná como parceiros.

O diretor da escola, Christian Ricardo dos Santos, conta que o espaço proporciona aos professores da instituição trabalhar com metodologias diferenciadas. “O professor de Geografia, por exemplo, imprimiu miniaturas de ossadas de dinossauros, enquanto os de Ciências e Biologia imprimiram modelos de células e os de História, armas medievais. Quem tem interesse está liberado para usar”, afirma.

Para Miriã, uma das alunas à frente da Horta New Way, o laboratório é um prato cheio para o desenvolvimento de bons projetos. “Acho que é maravilhoso ver esse espaço sendo aberto para a gente poder levar uma coisa boa à sociedade, não ficar presos somente a jogos, por exemplo. Usar a tecnologia a nosso favor é maravilhoso”.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.