EduTech tem aula com presidentes da Google, Magazine Luiza e Todos Pela Educação 
31/03/2021 - 15:19

O programa EduTech — que oferece cursos de programação gratuitos para alunos da rede pública estadual — teve, na manhã desta quarta-feira (31), uma aula inaugural para os 65 mil alunos inscritos, com a participação de empreendedores brasileiros. O evento virtual, que foi transmitido via YouTube aos estudantes, contou com a empresária Luiza Helena Trajano, da rede de lojas Magazine Luiza; Fábio Coelho, presidente da Google no Brasil; Priscila Cruz, presidente executiva do Todos pela Educação; Paulo Silveira, CEO do grupo Alura e mestre pela USP em Geometria Computacional; além do governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior, e do secretário estadual da Educação e do Esporte, Renato Feder.

"Nossos jovens, para estarem prontos para o mercado de trabalho do século 21, precisam aprender a linguagem do computador, da tecnologia", disse Feder durante a aula inaugural. Ele ressaltou que, para ingressar nessa área, os alunos do EduTech têm a seu dispor uma plataforma digital com conteúdos que podem ser acessados a qualquer momento. "Aqui, no Paraná, a gente quer que o aluno seja protagonista, então, temos, além das aulas, uma ferramenta em que o professor consegue acompanhar o progresso do aluno e auxiliá-lo ao longo de sua evolução."

O governador destacou o espaço crescente que a tecnologia ocupa no mercado de trabalho e a necessidade de preparação para se destacar no setor. "A tecnologia passou a ser a fonte dominante do desenvolvimento econômico do País. Portanto, nós temos que transformar nossa educação para preparar o jovem para entrar nesse mercado, que vai se expandir cada vez mais no mundo tecnológico em que estamos vivendo", declarou. Ratinho Junior expressou, ainda, a intenção de alcançar, futuramente, 150 mil jovens com o EduTech, que ele definiu como um programa de revolução na vida dos alunos paranaenses que iniciam amanhã as aulas de programação.

Exemplo de trajetória

Durante a aula inaugural, os estudantes puderam assistir aos convidados compartilhando suas experiências e perspectivas para o futuro nos segmentos da tecnologia, educação e empreendedorismo. Luiza Trajano, por exemplo, contou um pouco de sua trajetória profissional e de como entrou na cultura digital. Além disso, incentivou os alunos a estudarem muito sobre programação. “Temos que quebrar paradigmas, e o Paraná está fazendo isso. É uma oportunidade que os alunos estão tendo que nunca vi no Brasil. É a oportunidade que o mercado está pedindo. Nós, no Magazine Luiza, temos cinco laboratórios digitais e, só no ano passado, contratamos cinco mil colaboradores”, afirmou a dona da rede de lojas Magazine Luiza.

Google de portas abertas

Já Fábio Coelho abordou a importância do conhecimento de tecnologia e da demanda por profissionais desse setor. Ele discorreu sobre como é o trabalho no segmento da tecnologia e garantiu que o Google está de olho na mão de obra paranaense. “Esses alunos terão a oportunidade de chegar mais longe. O Google está sempre buscando mão de obra qualificada. O Google está de portas abertas para o Paraná. Vamos acreditar no poder da Educação, para reduzir a desigualdade com inclusão social e digital. É um programa sério, estruturado e profissional.”

Educação para recuperar o Brasil

Priscila Cruz falou sobre a importância de disseminar boas experiências na educação e de se preparar para o futuro, considerando, especialmente, o atual cenário brasileiro. “A Educação vai ser o grande eixo de recuperação do Brasil. E o Paraná é exemplo para outros estados, com uma agenda dinâmica, modernizante, contemporânea na Educação. O Paraná será centro de luz para todo o Brasil.”

Pensamento crítico

Por sua vez, Paulo Silveira frisou que “o projeto do Paraná anima muito, pois percebemos que a educação e a formação são o foco”. Para o mestre em Geometria Computacional pela USP, os estudantes têm a possibilidade de desenvolver o pensamento crítico e o computacional. “Eles aprendem a usar as ferramentas e encaixar as peças; entender o problema e montar a solução. Quem entender de programação está um passo à frente.” 

O programa é implementado em meio à expansão do mercado de tecnologia da informação (TI), que deve crescer 11% neste ano, de acordo com estudo da IDC Brasil. “Esse é um projeto que nos dá grande orgulho; por isso, decidimos ampliá-lo em 2021. Além de conhecimento, proporciona condições para nossos alunos trilharem uma carreira no futuro em um mercado que cada vez mais busca esses profissionais”, destaca Feder.

Aulas de programação

Com início no dia 1º de abril e encerramento no fim do ano letivo, o curso acontece integralmente em plataforma on-line. Nela, os estudantes têm acesso a todo o conteúdo do trimestre, incluindo videoaulas, áudios, textos, slides e exercícios (que devem ser feitos, obrigatoriamente, para que o aluno evolua para as próximas etapas do curso). Além disso, há encontros semanais via Google Meet, no contraturno, com professores que estão disponíveis para passar orientações e tirar dúvidas.

EduTech 

Lançado em março deste ano, o programa EduTech oferece cursos gratuitos de programação, games e animação a estudantes dos ensinos Fundamental e Médio da rede pública estadual do Paraná. Já estão inscritos 65 mil alunos, divididos em 689 turmas.

As trilhas de ensino dos cursos se dividem por séries. Dentre as possibilidades para cada uma delas, estão games e animação, ciência de dados, programação front-end, desenvolvimento mobile e programação em Java e em Python. As inscrições aconteceram entre 9 e 19 de março, e também contemplaram professores da rede estadual, que preencheram mil vagas.