Estudantes do Ganhando o Mundo encerram curso de inglês com workshop em Curitiba
14/12/2021 - 15:47

Os 100 alunos e alunas participantes do programa Ganhando o Mundo finalizaram nesta terça-feira (14) o curso de inglês preparatório para o intercâmbio a ser realizado no ano que vem. Durante toda a manhã e parte da tarde, eles participaram de um workshop de imersão em Língua Inglesa no Colégio Estadual Júlia Wanderley, em Curitiba.

O workshop, realizado todo em inglês para criar ambientes reais de comunicação, era composto por seis atividades distintas e lúdicas feitas em pares e em grupos, como uma caça ao tesouro, jogo de tabuleiro humano, quebra-cabeça de palavras, jogo de perguntas e respostas e adivinhação de músicas e animais.

A atividade presencial foi o encerramento do curso de inglês online de 240 horas, iniciado em maio e ofertado como preparação à viagem pela Secretaria de Estado da Educação e do Esporte (Seed-PR) em parceria com a Superintendência de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti), por meio da Universidade Virtual do Paraná (UVPR) e do Paraná Fala Idiomas.

“Vocês vão representar um milhão de estudantes, vão conhecer um novo país, uma cultura diferente. A gente quer que vocês voltem e sejam multiplicadores e compartilhem tudo o que vocês vão trazer com os seus colegas”, disse o diretor de Educação da Seed-PR, Roni Miranda, que participou da abertura do workshop.

Selecionados no início deste ano, os 100 estudantes viajariam em agosto, mas ainda no primeiro semestre tiveram a viagem adiada para o início de 2022 devido às  medidas sanitárias decorrentes da pandemia, como o constante fechamento de fronteiras — caso da Nova Zelândia, destino anterior dos estudantes. Por esse motivo, a Seed-PR alterou o destino do intercâmbio para o Canadá. O embarque está previsto para o início de fevereiro, e o intercâmbio terá duração de um semestre letivo, com os estudantes retornando para o segundo semestre em seus respectivos colégios no Paraná.

“Já falava um pouco de inglês [pelas aulas na própria escola e por estudos próprios], mas melhorou bastante. As aulas foram bem boas, com a interação com os outros estudantes”, diz Dilmar Aparecido Castanheiro, aluno do Colégio Estadual Machado de Assis, de Sertanópolis, que já viajou sozinho em virtude do seu desempenho escolar. Em 2019, ele foi a Salvador para receber uma medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas.

“Agora que está perto de fevereiro, para gente ir passar os seis meses, a gente fica um pouco ansiosa, mas é uma oportunidade incrível. Acho que a gente tem que aproveitar muito e agradecer por essa nova experiência que a gente vai viver lá fora, tanto pelo lado escolar quanto pela questão cultural também, porque a gente vai desenvolver uma responsabilidade muito maior. O desenvolvimento acadêmico e do inglês vai ser incrível para o nosso currículo”, diz Ana Clara Basbasque Vieira, moradora de Tamarama e estudante do Colégio Estadual Prof. Maria Helena Davatz, em Londrina. A viagem para Curitiba é a primeira sem os pais e a do intercâmbio será a primeira de avião e também ao exterior. 

O programa — Puderam participar do processo seletivo estudantes que ingressaram no Ensino Médio na rede estadual do Paraná em 2021. Também era necessário ter cursado os anos finais do Fundamental (6º ao 9º ano) na rede pública do Paraná e ter entre 14 e 17 anos e meio na data de embarque.

A seleção dos intercambistas foi feita com base na média de notas e frequência: era preciso ter média maior ou igual a sete (7,0) em todas as matérias e frequência maior ou igual a 85%. Para chegar à pontuação final, foram somadas as médias de todas as disciplinas da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) cursadas em 2020 no 9º ano.

Na primeira etapa, foram classificados 363 estudantes, cada um representando um dos 399 municípios do Estado — os outros 36 não tiveram inscritos que se enquadrassem em todos requisitos para a seleção. Já na etapa final, foram classificados os 100 estudantes com as maiores notas.

Despesas — Os gastos com a documentação necessária para a viagem e itens essenciais durante o semestre letivo no exterior serão custeados pela Seed-PR. Os custos incluem emissão de passaportes e vistos, exames médicos e vacinas, passagens aéreas e terrestres, transporte, hospedagem (que será feita em casas de famílias com experiência em receber estudantes estrangeiros), seguro viagem e saúde, além das despesas vinculadas à parte acadêmica, como taxa de matrícula, tradução juramentada da documentação escolar, mensalidade da escola, material didático e uniforme.

O intercambista também receberá uma ajuda de custo mensal de R$ 800. Serão seis parcelas da bolsa-intercâmbio, sendo a primeira (bolsa-instalação) para cobrir despesas iniciais na chegada, e as demais, repassadas mês a mês.