Colégios fazem carreata para alcançar estudantes no interior do Paraná
23/09/2020 - 17:25

Existem diversas formas encontradas pelas escolas estaduais do Paraná para fazer a busca ativa de alunos durante a pandemia. Professores se reuniram para uma verdadeira carreata dentro de comunidades e bairros, justamente para levar o carinho de mestres aos estudantes.

Em São Mateus do Sul, por exemplo, essa foi a alternativa escolhida pelo Colégio Estadual Professora Orlanda Distefani Santos. A ideia surgiu de uma reunião dos professores, para pensar em formas de fazer o chamamento dos alunos, como explica a diretora Emiliana Lemes Soares. “A equipe gestora faz reuniões constantemente para pensar em formas, e surgiu essa ideia. Aproveitamos a data de 21 de setembro, que foi feriado na cidade, e cada um ficou com uma tarefa”, comenta.

Ela conta que uma pessoa ficou responsável pelos áudios que foram veiculados em carro de som e rádio, enquanto outras professoras bolaram as frases para expor nos carros. A diretoria ficou responsável por acionar patrulhamento de segurança, montar o percurso da carreata e convocar professores. “Os professores adoraram a proposta e se engajaram rapidamente com a ação; foi bastante gratificante”, completa.

Uma ação similar aconteceu em Umuarama, no Colégio Estadual Bento Mossurunga. A diretora auxiliar Ezi de Mello Jander. “Uma das nossas professoras assistiu um vídeo de um professor espanhol, que teve a ideia de visitar os alunos fazendo um incentivo à eles para se engajar com as atividades. Essa professora compartilhou a ideia com outra professora, elas amadureceram e procuraram a direção para propor”.

Por lá a ideia foi adaptada para a realidade da escola, e teve um bom retorno. “Fizemos uma análise por quais eram os alunos que mais se destacavam nas participações e tarefas, entre os muitos que temos aqui que estão correspondendo nesse período. Foi combinado com professores e funcionários e entramos em contato com as famílias, mas os alunos não sabiam”, explica Ezi. “Todos ficaram muito felizes e emocionados, e agora estamos nos organizando para visitar os que estão com mais dificuldade e pouca participação, e que têm dificuldade de acesso. Vai ser a nossa próxima empreitada”, conclui.